Em nova denúncia, mulher acusa Trump de ter apalpado seus seios em 1998

Em nova denúncia, mulher acusa Trump de ter apalpado seus seios em 1998
0000000000
Uma professora de ioga da região de Nova York afirmou publicamente nesta quinta-feira (20) que Donald Trump teria tocado seus seios e feito comentários inadequados em 1998, acusações que se somam às de outras nove mulheres nos últimos dias.

Karena Virginia, de 45 anos, contou, durante coletiva de imprensa, ter cruzado com o empresário, hoje candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, no torneio de tênis US Open de 1998.

Ela diz que Trump apontou para ela e disse aos homens que o acompanhavam: “Ei, vejam essa. Nunca a tínhamos visto. Olhem essas pernas”.

Falava dela “como se fosse um objeto mais que uma pessoa”, contou Virginia aos jornalistas, lendo uma declaração preparada com antecedência.

A mulher disse que Trump a abordou quando tinha 27 anos, a pegou pelo braço e tocou seus seios.

Após o incidente, contou ter sentido “vergonha”.

“Durante muitos anos, duvidei sempre sobre o que devia vestir para não atrair involuntariamente a atenção”, relatou.

Segundo sua advogada, a especialista em temas de assédio e agressão sexual Gloria Allred, Karena Virginia não tem a intenção de processar Trump.

O jornal The Washington Post publicou em 7 de outubro um áudio de 2005 em que o candidato presidencial e ex-astro de reality show se vangloria de sua audácia com as mulheres, e de agarrá-las pelos genitais sem o seu consentimento.

A revelação deste áudio incitou nove mulheres a acusá-lo publicamente de comportamentos indecentes com elas, alguns dos quais, se confirmados, constituem crime de agressão sexual.

Karena Virginia é a décima mulher a acusar o magnata do setor imobiliário.

Durante o terceiro e último debate presidencial, na noite de quarta-feira, Trump negou os fatos e afirmou que as acusações foram “amplamente desmentidas”.

Trump também afirmou que sua adversária, a democrata Hillary Clinton, “incitou” as mulheres a acusá-lo de agressão sexual.

“Ninguém me pediu que desse meu testemunho publicamente”, afirmou Karena Virginia na quinta-feira.

“Na verdade, muitas pessoas me aconselharam a que não o fizesse”, acrescentou.

bol

20/10/2016

(Visited 3 times, 1 visits today)