Conheça os planos de Marx Beltrão para alavancar o turismo

Marx Beltrão completa neste sábado (1) um mês no comando do Ministério do Turismo. O  ministro aproveitou a data para fazer um balanço do primeiro mês à frente do Turismo e falou sobre suas expectativas, propostas  ao assumir um cargo no Executivo Federal, numa pasta com grandes desafios. Nesta entrevista divulgada pela assessoria do MTur o executivo destaca o que considera importante para fomentar o turismo no país.

Marx Beltrão,Ministro do Turismo
Marx Beltrão, Ministro do Turismo

LEI GERAL DO TURISMO – Este primeiro mês foi muito produtivo para conhecer e entender melhor as demandas do setor. Pude observar que muitas coisas poderiam ter sido adiantadas se tivesse mais vontade política. Muitas pautas que o trade está trazendo dependem de esforço político e eu estou disposto a ajuda-los nesse sentido. Sobretudo do ponto de vista jurídico – que avançaremos com a reformulação da Lei Geral do Turismo. Acredito que temos muito que avançar, principalmente nas questões jurídicas e questões trabalhistas. Estou ouvindo todos os representantes do setor, faremos brevemente uma reunião do Conselho Nacional de Turismo e espero, até o final do ano, ter um parecer geral das mudanças que precisam ser feitas para conseguirmos avançar no fortalecimento do turismo doméstico e na atração de turistas internacionais.

ORÇAMENTO E PROGRAMAS – Todos sabem que o Brasil tem um potencial turístico sem igual no mundo. Porém, é preciso consolidar leis de fomento, programas de incentivo e profissionalização. Para tanto, precisamos mapear as prioridades, as cidades-chave em cada região para ir em busca de soluções dos pontos mais urgentes e, em seguida, os de menor impacto. Entretanto, nada disso será possível sem que consigamos aumentar o orçamento da Pasta para o desenvolvimento de políticas voltadas para o setor, melhoria de infraestrutura e promoção dos nossos grandes atrativos. No entanto, para isso é preciso que governo federal, gestores locais e empresários trabalhem juntos para promover nossos destinos e atrair cada vez mais visitantes para movimentar as economias locais e consequentemente gerar renda.

IMAGEM – A recente incorporação do Ministério do Turismo no Comitê Econômico do Governo mostra que esse governo dá muita atenção ao turismo e reconhece seu papel como gerador de emprego e renda no país. Agora precisamos avançar em pautas importantes, como a criação de Áreas Especiais de Interesse Turístico, a criação de PPPs para gestão dos parques públicos nacionais, a manutenção do benefício da isenção de vistos para estrangeiros, a criação de um ambiente de negócios mais favorável para investimentos. Acredito que com medidas simples, o turismo é o setor que consegue responder mais rapidamente com impactos na economia e geração de emprego e renda.

TURISMO DOMÉSTICO – O crescimento do interior do Brasil tem apresentado desempenho superior as áreas urbanas. De acordo com uma pesquisa recente, 38% do consumo do país está fora das capitais e regiões metropolitanas e de cada 10 brasileiros da classe média, 6 estão no interior. Outro dado interessante é que as famílias da classe média do interior têm renda 20% maior que as famílias de classe média das capitais, mas gastam 50% menos em passagem aérea. Isso acontece pela falta de acesso dessa parte da população aos aeroportos. A missão do Ministério do Turismo é incentivar e facilitar as viagens, portanto nada mais correto do que apoiarmos o programa de aviação regional do governo federal. A aviação aproxima pessoas e impulsiona a economia do interior.

TURISMO INTERNACIONAL – Precisamos avançar. Estou propondo um conjunto de ações para uma espécie de ofensiva para atração de turistas ao Brasil. Além da manutenção da medida de isenção de vistos para turistas por mais dois anos. Nossa ideia agora é manter a isenção para as quatro nacionalidades e estender para a China. Os chineses exportam ao mundo mais de 100 milhões de turistas ao ano para o mundo e só 55 mil vêm ao Brasil., Encomendei aos técnicos do Ministério do Turismo estudos a respeito da isenção do ICMS de turistas estrangeiros que pagarem suas viagens com cartão de crédito – a exemplo do que está sendo feito na Argentina com a devolução do IVA – e a instalação de tax free no Brasil. Também estamos trabalhando junto à área econômica do Governo para mudar o modelo de gestão da Embratur.

Luiz Marcos Fernandes-mercadoeventos.com.br

 

(Visited 1 times, 1 visits today)